NOTÍCIAS

Desembargador suspende efeitos de decisão que determinou penhora de ativos financeiros mesmo com dívida já garantida
29 DE JUNHO DE 2022


Uma professora, parte em uma ação de execução de título extrajudicial, conseguiu na Justiça suspender efeitos de decisão que determinou a penhora de ativos financeiros mesmo com a dívida já garantida por penhora de imóvel, já avaliado judicialmente. O desembargador Carlos Escher, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), deferiu pedido de efeito suspensivo para sobrestar o cumprimento da decisão até o julgamento do mérito de recurso.

O advogado Oberdan Matias Matos, do escritório Oberdan Advocacia e Consultoria Jurídica, relatou que o caso envolve um empréstimo feito pela professora, no qual celebrou com boa-fé Escritura Pública de Confissão de Dívida com garantia de hipoteca. Disse que, no curso do processo, foi avaliado e penhorado o imóvel dado como garantia, sendo que o bem possui valor superior à dívida.

Contudo, o juízo singular atendendo a pedido do exequente, determinou a penhorara eletrônica de valores em contas bancárias da executada, bem como consulta Renajud e Infojud. O advogado salienta, porém, que a execução em debate se encontra garantida por penhora de imóvel, já avaliado judicialmente. “Não havendo falar em demais meios expropriatórios, sob pena da execução transformar-se em uma espécie de sanção penal”, disse.

Após recurso, o juízo de primeiro grau manteve o entendimento. O advogado observou em recurso ao TJGO que pode ser cometida injustiça em detrimento da executada, uma vez que além de ter seu imóvel penhorado e possivelmente adjudicado ou alienado, ainda poderá sofrer atos de constrições superiores a força da dívida executada. Violando o princípio da menor onerosidade ao executado.

Ao analisar o caso, o desembargador disse que, adstrito ao nível de cognição sumária típica do provimento liminar, forçosa a suspensão da decisão exarada pelo juízo singular. A fim de suspender o trâmite processual até a análise do recurso, de forma a evitar eventual tumulto processual, com o prosseguimento dos atos de expropriação patrimonial, sem que se saiba, ao certo, o quantum debeatur (quantia exata a ser paga).

Disse, ainda, a suspensão dos efeitos da decisão agravada não ocasionará maiores prejuízos aos litigantes, notadamente em face da célere tramitação deste recurso. “Assim entendendo, defiro o pedido de efeito suspensivo para, suspendendo os efeitos ou a eficácia da decisão agravada, sobrestar o cumprimento da decisão recorrida, até o julgamento do mérito deste recurso”, completou.

Fonte: Rota Jurídica

Outras Notícias

Portal CNJ

Sistema de negociação virtual acelera acordos no Judiciário da Bahia
05 de agosto de 2022

Uma cliente da advogada Suane Rocha Salomão contratou um serviço junto a uma operadora de telefonia e o valor do...


Portal CNJ

Cooperação pode ajudar Judiciário a enfrentar volume e complexidade de processos
05 de agosto de 2022

Iniciativas de cooperação judiciária têm ajudado magistrados a lidar com um volume excessivo de processos que se...


Anoreg RS

VFK Educação promove curso de atualização sobre a Lei n. 14.382/2022
05 de agosto de 2022

Associados ao IRIB podem se inscrever com desconto!


Anoreg RS

Migalhas – TRF-3: Não incide IR sobre valores de dívidas recebidas por cartório
05 de agosto de 2022

Colegiado considerou que se mostra indevida a exigência de Imposto de Renda sobre os valores de dívidas recebidas...


Portal CNJ

Cooperação entre tribunais reforça ações de recuperação judicial
05 de agosto de 2022

Os tribunais de três ramos de Justiça de Pernambuco se uniram e preparam um modelo de cooperação judiciária...


Portal CNJ

Oficinas propõem inovação como método para solucionar problemas complexos
04 de agosto de 2022

A palavra “inovação” é frequentemente associada aos avanços da tecnologia. Uma série de eventos promovidos...


Portal CNJ

Programação no segundo semestre celebra 40 anos do Judiciário de Rondônia
04 de agosto de 2022

Inauguração de memorial, exposição histórica no Porto Velho Shopping, lançamento de livro e um Prêmio de...


Portal CNJ

PE: Justiça Eleitoral lança coleção digital de documentos históricos
04 de agosto de 2022

Em um trabalho contínuo e articulado de difusão da memória institucional e do processo eleitoral, o Tribunal...


Anoreg RS

CNJ recomenda aos registradores civis a promoção do registro de nascimento e de natimorto, mesmo que os pais não apresentem CPF
04 de agosto de 2022

RECOMENDAÇÃO N. 50, DE  18 DE JULHO DE 2022 Dispõe sobre a prevalência do direito fundamental ao nome sobre...


Portal CNJ

Sergipe debate melhorias para processos judiciais sobre infância e juventude
04 de agosto de 2022

A Coordenadoria da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) promoveu encontro com...